Pular para o conteúdo principal

Educação Infantil em tempos de quarentena



Com a suspensão das aulas com o intuito de promover a prevenção e mitigação da propagação do Coronavirus -COVID-19 e manter a saúde de estudantes e trabalhadores da educação, muitos professores continuaram mantendo contato com seus alunos. Algumas escolas perceberam que esta seria uma forma de possivelmente contabilizar o número de horas para compor o ano letivo. Com o passar dos dias todos sentiram a necessidade de fazer algo. Não ficar "parados".
Pensamos então na educação infantil. Não se pode, no meu ponto de vista, usar nesta modalidade de ensino o termo EAD. A LDB não preconiza. Não há respaldo legal, até o momento, para aulas domiciliares na Educação Infantil. Sabe-se que o momento é único. Diferente de qualquer outro. A Educação infantil pela sua própria natureza tem como eixo estruturantes práticas pedagógicas interações e brincadeiras. A BNCC nos dá este embasamento, este norte. Prevê que as instituições de ensino devem ampliar o universo de experiências, conhecimentos e habilidades.
E agora, o que fazer?
Em tempos de quarentena e isolamento social a escola teve que se reinventar. Ressignificar a prática pedagógica para que o vínculo afetivo construído entre professores e alunos não fosse interrrompido em sua totalidade.
Então ... É preciso criar estratégias, contatar as famílias, organizar, planejar, pensar o que os pais podem ter em casa como recurso. Não se pode sonhar muito, criar algo muito grandioso. Quanto mais simples mais próximo de alcançar os objetivos.
 O que fazer? Qual conteúdo? Não pode ser algo mecânico. Pode-se priorizar histórias, músicas, brincadeiras e com estas atividades unir, fazer um eixo para os conteúdos que gostaria de trabalhar.
Uma outra dica é fazer vídeos para as crianças. Aparecer para os seus alunos. É importante que os alunos pequenos vejam a professora. Talvez apenas o fato de visualizar a professora fará a criança feliz. Em um relato um pai disse que o filho de cinco anos adorava quando a professora dava um 'Oi" para ele.
Como envolver os pais? Conte uma história sobre os nomes, peça para os pais falarem sobre a história dos próprios nomes, sobre a história do nome dos filhos. Aproveite o momento para propôr brincadeiras em que os pais brinquem juntos. Muitas vezes os pais que trabalham não tem tempo para brincar com os filhos, converse com eles, de modo leve, proponha essa interação.
Evite sobrecarregar os pais com muitas atividades.
Se fizer um grupo de whatsapp, limite o tempo de postagens, por exemplo, ative o grupo das 8 horas até as 17 horas. Após este período e nos fins de semana deixe desativado para os pais postarem. Mantenha uma rotina.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sequência didática: Atividades - História João e o Pé de Feijão

 

Projeto: Dia de quem cuida de mim

Tema: Dia da família ou de Quem Cuida de Mim. Publico alvo: Crianças, famílias, Comunidade escolar, Objetivo geral: Propiciar às crianças a continuação da reflexão de sua estrutura familiar e o conhecimento da constituição de outras famílias, refletir sobre o relacionamento entre as pessoas de sua família e as demais pessoas que a rodeiam, oportunizando o respeito e o interesse pelos diferentes grupos familiares. Objetivos específicos: ·         Reconhecer e valorizar os membros da família. ·         Compreender a história de seus colegas a partir de sua própria história ·         Permitir ao aluno vivências que estimulem a fala e expressões corporais. ·         Desenvolver a criatividade através da interação com outros pares, além da sala de aula. ·         Interagir com outras crianças em diferentes faixas etárias, através de brincadeiras. ·         Desenvolver a linguagem oral e escrita. Justificativa:   A família é o primeiro ponto de re

Projeto - Atividades: Meu Pintinho Amarelinho

  Atividades a partir da música: Meu pintinho Amarelinho. Campos de experiencias:  Corpo, gestos e movimentos. Traços, sons, cores e formas. Escuta, fala, pensamento e imaginação. Espaços. tempos, quantidades, relações e transformações. Objetivos: Demonstrar controle e adequação do uso de seu corpo em brincadeiras e jogos. Criar movimentos, gestos, olhares e mímicas em brincadeiras, jogos e atividades artísticas como dança, teatro e música. Coordenar suas habilidades manuais no atendimento adequado a seus interesses e necessidades em situações diversas. Expressar-se livremente por meio de desenho, pintura, colagem, dobradura e escultura, criando produções bidimensionais e tridimensionais. Expressar ideias, desejos e sentimentos sobre suas vivências, por meio de linguagem oral e escrita (escrita espontânea), de fotos, desenhos e outras formas de expressão. Estabelecer relações de comparação entre objetos, observando suas propriedades. Classificar objetos e figuras de acordo com suas sem